Verge vs Monero: Qual É a Melhor Alternativa?

Olá e bem-vindo(a) a esse guia sobre Verge vs Monero. Eu reuni tudo para apresentar alguns dos conceitos fundamentais sobre essas duas criptomoedas interessantes e com foco na privacidade.

Vou cobrir os fundamentos da Verge vs Monero nesse tutorial e como cada uma dessas criptomoedas obtém privacidade. Explicarei os motivos pelos quais as moedas com foco na privacidade podem ser importantes e por que cada uma delas foi adotada para usos diferentes.

Em seguida, discutiremos a velocidade dos blockchains da Monero e da Verge e como cada moeda planeja escalar para atender à demanda futura em potencial. Abordaremos as equipes responsáveis por cada um dos projetos e a história por trás deles, além de algumas análises de preços de mercado.

Dessa maneira, ao final desse tutorial sobre as moedas Verge vs Monero, você terá uma compreensão muito melhor da Monero e da Verge. Você será capaz de dizer qual deseja usar ou em qual deseja investir.

Há muito o que fazer nesse guia sobre Verge vs Monero, então vamos começar já!

Monero vs Verge: O Básico

Monero

A criptomoeda Monero foi criada em 2014. A primeira versão da moeda foi chamada de BitMonero, mas o nome foi reduzido simplesmente para Monero logo no início.

A criptomoeda Monero usa a mesma base de código de outra criptomoeda chamada Bytecoin, embora existam algumas diferenças. A decisão original foi de fazer um fork para criar a Monero a partir da Bytecoin por causa de alguma controvérsia em torno da distribuição original de Bytecoin. Foi descoberto que cerca de 80% do fornecimento total de Bytecoin já havia sido minerado quando foi lançada. Muitos na comunidade de criptomoeda discordaram disso, então decidiram por fazer um fork a partir da Bytecoin para formar a criptomoeda Monero.

Ao contrário do Bitcoin, a criptomoeda Monero usa o protocolo CryptoNote. CryptoNote é um algoritmo para minerar criptomoeda diferente do algoritmo SHA-256 do Bitcoin. Não se preocupe se você não souber o que são, não é importante ter um bom conhecimento desses termos para poder usar e minerar Monero!

Como o Bitcoin, a Monero é uma criptomoeda prova de trabalho. Isso significa que é necessário poder computacional para verificar as transações na rede. Os sistemas de computador que fornecem esse poder são conhecidos como mineradores, mas ao contrário do Bitcoin, ainda é possível minerar Monero usando computadores normais (com uma CPU) ou máquinas de jogos de última geração (usando uma GPU). Para saber mais sobre a Monero, siga meu guia aqui.

Verge

A Verge foi lançada pela primeira vez em 2014. É uma criptomoeda descentralizada e de código aberto. Assim como a Monero, seu objetivo é fornecer transações privadas para seus usuários. Foi originalmente chamada de DogeCoinDark, mas o nome foi mudado para Verge em 2016. A Verge compartilha muitos dos mesmos códigos que a Dogecoin, mas a equipe de desenvolvimento afirma que não é baseada na “moeda-meme” original. Há muita disputa dentro da comunidade de criptomoedas sobre isso.

Existe um grande suprimento máximo de 16,5 bilhões de moedas Verge que serão mineradas. Isso é consideravelmente mais do que muitos outros projetos de criptomoeda. É por isso que o preço é tão baixo e nunca atingiu nem um único dólar.

Como a Monero, a Verge é uma moeda de prova de trabalho. No entanto, ela usa cinco algoritmos para minerar criptomoeda diferentes. A ideia por trás disso é aumentar a descentralização na rede. Usando tantos algoritmos diferentes, muitas unidades diferentes podem minerar a criptomoeda Verge com sucesso. Quanto mais mineiros houver em um blockchain, mais seguro ele deve ser! Curioso para saber mais sobre a Verge? Veja meu guia aqui.

Privacidade na Verge vs Monero

Verge vs Monero, qual tem mais privacidade? Bem, ambas gerenciam a privacidade de maneiras diferentes.

Para sua privacidade, a Monero usa uma combinação de protocolos criptográficos chamados de assinaturas de anel e o algoritmo CryptoNote. Agora, a menos que você seja bom em programação (e vamos encarar, se você está lendo esse artigo, provavelmente não é), terá dificuldade para entender exatamente como cada um desses funciona. Não se preocupe, em vez de confundir as coisas, vou simplificar para você.

A rede Monero essencialmente agrupa as transações. Em seguida, ela envia a quantidade correta de Monero para os endereços de recebimento desse grupo, o que significa que ninguém pode dizer exatamente quem enviou o que para quem.

Enquanto isso, a privacidade da Verge é alcançada de uma forma completamente diferente. Tem dois registros diferentes: um público e um privado. As transações feitas usando o registro público ficam visíveis para qualquer pessoa ver.

Mas a ferramenta que permite navegar secretamente na dark web (Tor), junto com uma camada de rede anônima, esconde os endereços IP e a localização de quem faz as transações. É assim que funciona o registro privado da Verge. Ele se comporta mais como o da Monero, pois ninguém pode ver qualquer transação que ocorre nele.

Mas Por Que Ficar Anônimo?

Existem muitos motivos pelos quais alguém desejaria fazer uma transação anônima. Alguns são moralmente questionáveis, outros nem tanto. Vejamos os mais comuns:

Em primeiro lugar, há o caso de uso da dark web pelo qual o Bitcoin se tornou famoso no início de sua existência. Nem todas as pessoas que usam a dark web fazem isso para comprar substâncias e itens para uso em benefício próprio. Por exemplo, pessoas que vivem em partes do mundo onde a cannabis medicinal é ilegal podem usar a dark web para obter acesso a tratamentos que salvam vidas.

É quase impossível obter óleo de CBD de alta concentração usado para tratar câncer, epilepsia e uma série de outras condições no Reino Unido. Graças à dark web, os pacientes podem se automedicar e os pais de crianças doentes têm a chance de tratá-las sem ter que encontrar traficantes perigosos nas ruas.

Outro caso de uso que está surgindo para criptomoedas anônimas é o crime cibernético. Um ataque que usa pagamentos anônimos é o ransomware, que envolve criptografar dados em um sistema de computador. Isso é feito com um software baixado no sistema, onde o invasor solicita que o pagamento seja feito para descriptografar os dados. Claro, se você puder receber o pagamento em uma moeda anônima, suas chances de ser pego cometendo um ato criminoso são menores.

Um uso muito diferente para moedas privadas envolve pessoas com certos estilos de vida ou sexualidade. Dependendo do país onde você nasceu, as punições por ser gay, por exemplo, podem ser severas. Isso pode fazer uma pessoa querer fugir do país ou procurar serviços para conhecer pessoas em situações semelhantes. Com as penalidades sendo tão rígidas, é compreensível que elas queiram pagar por esses serviços usando uma moeda anônima.

Aceitação

Agora que expliquei algumas das razões pelas quais alguém pode querer usar uma moeda anônima, esse guia sobre Verge vs Monero chegou ao momento de olhar como cada uma dessas moedas está sendo aceita atualmente. Curiosamente, apesar de suas propriedades semelhantes, a aceitação da Monero e da Verge foram bastante diferentes uma da outra.

Monero

O primeiro e mais óbvio caso de uso da Monero está na dark web. Das muitas criptomoedas anônimas diferentes, incluindo a Verge, a Monero parece ser a mais usada na dark web e está rapidamente assumindo o controle do Bitcoin como a moeda preferida em vários mercados ocultos.

Outro caso de uso que a Monero encontrou é para evitar sanções econômicas impostas a certos países por outros. A Coreia do Norte, por exemplo, já hackeou várias exchanges de criptomoedas. Elas, então, convertem o dinheiro roubado em Monero.

Isso significa que essa moeda pode ser movida e usada para pagar por bens e serviços nos mercados ilegais globais. Ao mover dinheiro usando uma moeda anônima, é impossível para os EUA e outras potências mundiais limitarem suas atividades negando serviços financeiros ou negociando com eles.

A Monero também parece estar se tornando a moeda preferida para aqueles que desejam realizar o tipo de ataques mencionados na seção anterior. Os responsáveis ​​por esses atos cibercriminosos estão mudando rapidamente do Bitcoin para a Monero, graças às suas funções de privacidade aprimoradas.

Mineração no Navegador e Crypto-Jacking

Um caso de uso final que a Monero encontrou pode ser tanto positivo quanto negativo. Como Monero pode ser facilmente minerado usando CPUs e GPUs, ela se tornou uma escolha clara para o que é conhecido como uma ferramenta para minerar criptomoedas no navegador.

Mineração no navegador é a mineração de criptomoedas que é feita a partir do navegador de internet do usuário. O primeiro motivo para a mineração no navegador é ganhar dinheiro, o que não é muito eficiente, mas um usuário pode iniciar um software de mineração no navegador para ganhar pequenas quantias de criptomoeda enquanto navega.

Minerar criptomoedas no navegador também pode ser usado para monetizar uma página da web em vez de usar anúncios. Em algum lugar da página, normalmente estará expresso que alguns dos recursos do seu computador estão sendo emprestados pelo site para minerar Monero para o editor. Como alternativa, isso também pode ser feito sem a permissão do usuário. Quando esse for o caso, é uma forma de “crypto-jacking”. Crypto-jacking também pode ser feito instalando software malicioso em um sistema de computador para minerar Monero ou outras criptomoedas quando o usuário não está visitando um site específico.

Finalmente, a mineração no navegador também pode ser usada por motivos de caridade. A instituição de caridade infantil UNICEF lançou um site chamado The Hopepage, cuja ideia é permitir que os usuários doem parte de seu poder de computação para minerar criptomoedas enquanto navegam. Existem opções para doar entre 20% e 80% do poder do computador do visitante. No momento em que esse artigo foi escrito, havia quase 18.500 pessoas doando capacidade de computação para a instituição de caridade!

Verge

A aceitação da Verge parece ser mais lenta, mas um pouco mais positiva do que a da Monero. Existem menos cibercriminosos e estados invasores atualmente usando a moeda para o que sabemos que eles podem fazer!

Um desenvolvimento recente que deixou a comunidade da Verge animada foi a assinatura de uma parceria com a empresa-mãe (MindGeek) do site pornográfico líder do planeta, o PornHub. O “YouTube da pornografia” começou a aceitar a moeda para pagamento de qualquer um de seus recursos premium em abril de 2018. Além disso, duas das páginas irmãs do site (Brazzers e Nutaku) agora aceitam Verge para pagamentos.

A equipe por trás do MindGeek e do PornHub disse que preferia Verge por causa de seus recursos anônimos. Nem todo mundo quer tornar público que está vendo material pornográfico, então, para o PornHub, faz sentido usar Verge em vez de Bitcoin ou Ethereum, por exemplo.

Outra parceria que a Verge conseguiu garantir é com o Token Pay. Token Pay é uma empresa com sua criptomoeda que está procurando fazer cartões de pagamento em criptomoeda. Junto com a parceria com a Verge, o Token Pay também fez parceria com o WEG Bank AG da Alemanha.

As parcerias com MindGeek e Token Pay são potencialmente muito interessantes para o projeto da Verge. Isso ocorre porque pode haver um fluxo de pessoas que aprendem sobre criptomoeda e sobre a Verge, especificamente graças ao uso de PornHub, Token Pay ou WEG Bank AG.

Velocidade

O blockchain da Monero tem um tempo de bloco de dois minutos. Isso significa que novos blocos de transações são formados uma vez a cada 120 segundos, o que o torna cerca de cinco vezes mais rápido que as transações feitas com Bitcoin.

Enquanto isso, a Verge tem um tempo de bloco de 30 segundos. Isso a torna consideravelmente mais rápida para negociar do que com Bitcoin e cerca de quatro vezes mais rápida que a Monero.

Os números citados acima presumem que as transações cabem no próximo bloco. Se alguma rede estiver congestionada com muitas transações, o tempo de envio de Monero ou Verge será mais longo.

Escalabilidade

Vamos dar uma olhada na escalabilidade da Verge em comparação à da Monero.

Monero

A Monero usa o que é chamado de limite de tamanho de bloco dinâmico. Isso significa que os blocos aumentam e diminuem conforme a demanda por Monero aumenta ou diminui, onde blocos maiores podem incluir mais transações para que mais pessoas possam usar a rede Monero ao mesmo tempo. No entanto, como a rede ainda não atingiu a mesma popularidade que o Bitcoin, não está claro como essa solução de escalabilidade funcionará na prática.

Verge

A equipe por trás da Verge afirma que ela é muito mais escalável do que o Bitcoin. Atualmente, eles estão trabalhando para adicionar RSK (porta-enxerto) à Verge. Rootstock é um protocolo de segunda camada que também está sendo projetado para funcionar com Bitcoin. Acredita-se que isso fará com que a rede seja capaz de lidar com cerca de 2000 transações por segundo.

Esse é um aumento considerável em relação ao máximo atual de 100 transações por segundo. O Rootstock também permitirá que os desenvolvedores criem aplicativos inteligentes baseados em contrato, como os da rede Ethereum.

Monero vs Verge: As Equipes

É sempre bom comparar as equipes ao examinar diferentes projetos de criptomoeda. No entanto, como o anonimato é o objetivo dos projetos da Verge e da Monero, as equipes são mantidas em segredo. Ainda assim, vamos ver quem tem a melhor equipe nessa comparação entre Verge vs Monero.

Equipe Monero

Apenas dois dos principais desenvolvedores por trás do projeto Monero são conhecidos por seus nomes reais. Eles são Riccardo “fluffypony” Spagni e Francisco “ArticMine” Cabañas. Spagni é o mais vocal dos desenvolvedores e é muito ativo no Twitter sob o apelido @fluffypony. Ele tem muitos anos de experiência como desenvolvedor de software e formação em logística e informática.

Vverge vs Monero

Juntando-se a Spagni e Cabañas está uma longa lista de desenvolvedores que preferem usar apelidos. Já que pouco se sabe sobre a equipe, essa seção terá que ser encurtada!

Equipe Verge

Sabe-se um pouco mais sobre a equipe Verge, mas, assim como aqueles que trabalham na Monero, muitos desses desenvolvedores preferem usar apelidos. Apesar disso, há mais informações publicadas sobre os membros.

O fundador da Verge usa o pseudônimo Sunerok. Ele tem mais de 20 anos de experiência em segurança de rede e trabalhou com desenvolvimento de blockchain por mais de seis anos.

Sunerok é acompanhado por Sasha, que possui mestrado em economia e bacharelado em administração de empresas, além de ser freelancer como cientista de dados.

O departamento de marketing da Verge é chefiado por Kieran Daniels, que já trabalhou na Instapage.com e fundou o Dextroid.io e o CryptoAnswer.com.

Verge vs Monero: Histórico de Mercado Até o Momento

A seguir, nesse tutorial sobre Verge vs Monero, examinarei a história do mercado de ambos os projetos. Como a maioria das criptomoedas, elas seguem tendências semelhantes, mas alguns eventos de notícias também impactaram o preço de cada moeda.

Monero

Nos primeiros anos de Monero, o preço não viu grandes movimentos em qualquer direção. Isso mudou no final de 2016, quando todo o mercado de criptomoedas começou a ter uma tendência de alta. À medida que 2016 se encaminhava para 2017, esse movimento ascendente ficou mais rápido. Em meados de 2017, a Monero, como muitos outros ativos digitais, experimentou um crescimento explosivo.

O preço de uma única moeda Monero atingiu um pico de cerca de U$500 em janeiro de 2018. Desde seu ponto alto, o preço experimentou uma tendência de baixa, o que é consistente com o resto do mercado. Além de alguns saltos no preço, o valor da Monero diminuiu lentamente até o ponto em que está hoje, no momento da escrita desse artigo (3 de julho de 2018), em torno de U$137.

Você pode ver toda a história do mercado da Monero no gráfico abaixo.

Verge vs Monero - Gráficos da Monero

Verge

A história da Verge é parecida com a da Monero, embora tenha demorado um pouco mais para ver o início da sua tendência de alta. Durante grande parte de sua vida, a Verge custou apenas frações de centavo. Houve um breve período de otimismo na primavera de 2016, mas isso se acalmou rapidamente e o gráfico majoritariamente plano continuou.

Um ano inteiro depois, em abril de 2017, a comunidade de criptomoedas realmente percebeu a Verge. O preço experimentou uma tendência de alta, que continuou ao longo de 2017. Houve um máximo de pouco mais de 28c em dezembro de 2017 e, a partir de então infelizmente tem tido uma tendência de queda até chegar em seu preço atual de mais de 0,023 centavos. Assim como com a Monero, houve períodos durante 2018 em que o preço subiu novamente. O anúncio da parceria com a MindGeek foi a causa de uma dessas tendências de alta.

Você pode ver todo o histórico dos movimentos de preços da Verge no gráfico abaixo.

Verge vs Monero

Análise da Tabela de Verge vs Monero

  Fundado em Fornecimento final total Total de unidades (no momento da escrita do artigo) Preço atual em USD Recorde de maior valor em USD Tempo do bloco Mineração Transações por segundo
Monero 2014 18.400.000 (+ 0,3 XMR/minuto) 16.180.000 $138,13 $494 2 minutos GPU/CPU Teoricamente ilimitado
Verge 2014 16,5 bilhões 15,05 bilhões $0,026125 $0.28 30 segundos GPU/CPU 100

Verge vs Monero: Conclusão

Então é isso! Esse guia sobre Verge vs Monero está pronto. Você aprendeu muito? Espero que sim!

Esses são apenas dois dos muitos projetos diferentes de criptomoeda com foco na privacidade existentes atualmente. Muitas equipes diferentes de desenvolvedores estão tentando o seu melhor para se tornarem a moeda com foco na privacidade a ser usada para fazer transações potencialmente confidenciais.

Uma coisa para se estar atento é a legalidade dessas moedas. Já no Japão, as autoridades estão tentando eliminar o uso de criptomoedas anônimas, como a Verge e a Monero. Embora seja muito difícil para as autoridades globais fazerem isso inteiramente, tal repressão seria muito ruim para as perspectivas de preço de longo prazo das criptomoedas com foco na privacidade. É algo para se ter em conta se você planeja investir nessas moedas.

Dito isso, há muitos usos legais de moedas privadas. Nem todo mundo se sente confortável com o fato do governo conhecer seus hábitos de consumo até o último centavo, por exemplo. Então, alguns usos são ilegais em um pedaço de terra e completamente legais na fronteira. Em um mundo onde as ideias e, agora, o dinheiro podem se mover ao redor do globo em segundos, parece completamente ridículo negar certos medicamentos potenciais com base no local em que você nasceu.

Existem muitas boas razões para a existência de moedas de privacidade. Sendo assim, agora que chegamos ao fim, o que você acha? Para o que você gostaria de usar uma moeda privada? Adoraríamos ouvir sua opinião!

Deixa o seu comentário honesto

Deixe sua opinião genuína e ajude milhares de pessoas a escolher a melhor exchange de criptografia. Todos os comentários, positivos ou negativos, são aceitos, desde que sejam honestos. Não publicamos feedback tendencioso ou spam. Então, se você quiser compartilhar sua experiência, opinião ou dar conselhos - o espaço é seu!

Perguntas Frequentes

Como escolher a melhor exchange de criptomoedas?

Ao escolher a melhor exchange de criptografia , você deve sempre se concentrar em manter um equilíbrio entre os recursos essenciais que todas as principais exchanges de criptografia devem ter e aquelas que são importantes para você, pessoalmente. Por exemplo, todas as melhores exchanges devem possuir recursos de segurança de alto nível, mas se você deseja negociar apenas as principais criptomoedas, provavelmente não se preocupa muito com a variedade de moedas disponível na exchange. É tudo uma situação caso a caso!

Qual exchange de criptomoedas é a melhor para iniciantes?

Ao ler várias das melhores análises de exchanges de criptografia online, você notará que uma das coisas que a maioria dessas exchanges têm em comum é que elas são muito simples de usar. Enquanto algumas são mais diretas e mais acessíveis para iniciantes do que outros, você não deverá encontrar nenhuma dificuldade com nenhuma das exchanges mais bem cotadas. Dito isso, muitos usuários acreditam que a Coinbase é uma das exchanges mais simples do mercado atual.

Qual é a diferença entre uma exchange de criptomoedas e uma corretora?

Em termos leigos, uma exchange de criptomoedas é um lugar onde você encontra e negocia criptomoedas com outra pessoa. A plataforma de exchange (ou seja, a Binance) atua como um intermediário - conecta você (sua oferta ou solicitação) à outra pessoa (o vendedor ou o comprador). Com uma corretora, no entanto, não há “outra pessoa” - você apenas negocia suas criptomoedas ou moeda fiduciária com a plataforma em questão, sem a interferência de terceiros. Ao considerar as classificações de exchange de criptomoedas, no entanto, esses dois tipos de negócios (bolsas e corretoras) são normalmente incluídos no termo - exchange. Isso é feito por uma questão de simplicidade.

Todas as melhores exchanges de criptomoedas baseadas nos Estados Unidos?

Não, definitivamente NÃO! Embora algumas das principais exchanges de criptomoedas sejam, de fato, baseadas nos Estados Unidos (ou seja, Coinbase ou Kraken), existem outros líderes da indústria muito conhecidos que estão localizados em todo o mundo. Por exemplo, a Binance está sediada em Tóquio, no Japão, enquanto a Bittrex está localizada em Liechtenstein. Embora haja muitos motivos pelos quais uma exchange preferiria ser baseada em um local em vez de outro, a maioria delas se resumem a complexidades de negócios e geralmente não têm efeito sobre o usuário da plataforma.

Dias
Horas
Minutos
Segundos