Forks da Ethereum: O Tutorial Multifuncional

Os forks das criptomoedas são considerados uma ocorrência rara no mundo das criptomoedas. Alguns são planejados, outros - resultados de situações extremas. Qualquer que seja o caso de sua aparência, uma coisa é certa - quando acontecem, geralmente há grandes mudanças pela frente. É por isso que hoje vamos falar sobre forks da Ethereum (hard forks, para ser mais exato).

Abordaremos as definições de forks em geral (o que são, por que acontecem e assim por diante). Depois disso, vamos nos concentrar nos forks da Ethereum - você descobrirá quando eles aconteceram, o que mudaram e o que o futuro reserva.

Além disso, antes de prosseguir, você deve estar ciente do fato de que as criptomoedas devem ser armazenadas em um local seguro o tempo todo. Portanto, escolha sempre as carteiras de criptomoedas mais seguras e confiáveis ou, se preferir, exchanges de alto nível, tais como a Binance e o Kraken

Você sabia?

Quer ficar mais esperto e rico com criptomoedas?

Inscreva-se! Nós publicamos novos vídeos explicativos sobre criptomoedas toda semana!

Is Decentralized Anonymous Blockchain a Myth? (Explained!)

Is Decentralized Anonymous Blockchain a Myth? (Explained!) Is Decentralized Anonymous Blockchain a Myth? (Explained!)

O Que é um Fork?

Um fork no mundo da criptomoeda é conhecido como uma mudança no protocolo dessa moeda. Este tipo de mudança torna as versões anteriores dos blocos válidas e a versão atual inválida (ou vice-versa).

Existem dois tipos de forks conhecidos como soft forks e hard forks.

Forks da Ethereum: uma moeda entre dois garfos (forks).

Os soft forks são a versão diluída dos hards. Eles são chamados de soft porque não mudam nada em torno da estrutura real do protocolo. Os soft forks podem ser implementados pelos desenvolvedores ou criadores da criptomoeda para realizar certos trabalhos de manutenção, modificar algo cosmeticamente ou alterar algumas das regras em torno do blockchain.

Alguns dos soft forks mais populares e frequentes são aqueles que mudam o tamanho de um bloco específico. Eles são frequentemente implementados pelos desenvolvedores para suavizar os processos de mineração (assumindo que estamos falando sobre uma criptomoeda que usa o consenso de Prova de Trabalho”).

Esses forks tornam-se temporários - alguns mineradores podem optar por usá-los, enquanto outros podem simplesmente rejeitar a mudança e continuar a minerar as versões mais antigas da moeda.

Os hard forks, no entanto, são uma história totalmente diferente.

Os hard forks são grandes mudanças na criptomoeda em questão. Eles mudam o próprio protocolo da criptomoeda, tornando as versões mais antigas desse protocolo inválidas. Se ela (a versão mais antiga) continuar viva, isso resultará em uma divisão da nova versão. Ethereum tem exemplos desse tipo, e falaremos sobre eles nos próximos parágrafos.

Os hard forks são geralmente implementados em condições extremas. Eles raramente são planejados - na maioria das vezes, sua aparência é devido à necessidade. Isso faz sentido porque geralmente não há motivos legítimos para implementar um hard fork em uma criptomoeda que funciona normalmente. A palavra-chave geralmente - como você verá em breve, Ethereum é uma exceção.

Agora que estamos mais ou menos em sintonia e tiramos a terminologia do caminho, vamos passar ao tópico principal - hard forks da Ethereum ou o que é um hard fork Ethereum.

Hard Forks da Ethereum

A principal razão pela qual estamos falando especificamente sobre os HARD forks da Ethereum é que eles são tão prejudiciais e significativos para o bem-estar da Ethereum, que se torna impossível ignorar.

Ethereum Classic, EtherZero e Metropolis - esses são os três principais hard forks da Ethereum e falaremos sobre cada um deles até certo ponto.

Ethereum Classic

Este é o primeiro hard fork Ethereum que existiu. É também o mais polêmico de todos os hard forks da Ethereum.

Forks da Ethereum: Ethereum Classic.

Em um determinado momento, a equipe de desenvolvimento por trás da Ethereum percebeu que a organização autônoma descentralizada (DAO) que a Ethereum estava usando foi hackeada. A decisão de implementar um hard fork que restauraria todas as criptomoedas roubadas foi rápida, mas também recebeu algumas reações adversas.

Apoiadores e entusiastas da Ethereum ficaram divididos em dois campos. Os primeiros, estamos felizes que a equipe por trás desta criptomoeda iria tomar uma atitude rápida e não deixar tal coisa passar. Um hard fork significaria que os desenvolvedores aprenderam a lição e agora estão mais bem preparados para futuras tentativas semelhantes de hack ou violação.

No entanto, muitas pessoas não concordaram com o hard fork. Eles viram esta mudança como uma violação do significado fundamental de "descentralizado". Este grupo de pessoas acreditava que a única maneira de ter uma criptomoeda verdadeiramente descentralizada era não se envolver e simplesmente seguir o fluxo, porque assim que os desenvolvedores começassem a agir, isso causaria um efeito cascata e se tornaria uma grande declaração para o futuro.

No final das contas, os desenvolvedores da Ethereum seguiram em frente com sua decisão de implementar o hard fork. Qual foi o resultado? Bem, uma criptomoeda dividida em duas.

A maioria das pessoas que não concordou com a separação acabou aderindo à versão antiga da Ethereum, que agora é conhecida como Ethereum Classic.

Hoje, ainda existem dois grupos de pessoas na comunidade da criptomoeda - alguns pensam que os desenvolvedores estavam certos em consertar o problema o mais rápido possível, enquanto outros elogiam as pessoas que mantiveram suas crenças e ainda apoiam a Ethereum Classic.

Ether Zero

EtherZero é outro fork da Ethereum bem conhecido. Não é tão extremo quanto a Ethereum Classic - este é voltado para a melhoria ao invés de uma revolução.

Forks da Ethereum: Ether Zero.

A EtherZero visa melhorar as velocidades da taxa de transação que ocorrem dentro da rede Ethereum. Além disso, este fork da Ethereum está determinado a tornar essas transações totalmente gratuitas.

Muitos no mundo das criptomoedas consideram esses objetivos muito ousados. EtherZero também é uma bifurcação baseada em “Prova de Trabalho” - isso significa que a única maneira realmente eficaz de minerá-la seria usando plataformas à base de GPUs. Embora seja importante mencionar que existem planos para implementar um sistema masternode (“Prova de Participação”) neste fork da Ethereum no futuro.

Metropolis

Metropolis é a atual bifurcação da Ethereum, dentre muitos forks da Ethereum. Esta bifurcação não foi criada devido a quaisquer situações extremas, no entanto - é parte de um plano para melhorar o blockchain Ethereum existente.

Metropolis é composta por três fases. A fase de “Constantinople” é atualmente a fase ativa (considera-se que Byzantium terminou).

Forks da Ethereum: Ethereum Metropolis.

Existem alguns recursos principais que a bifurcação Ethereum Metropolis visa melhorar.

Em primeiro lugar, durante a extensão da bifurcação da Ethereum Metropolis, muitos recursos relacionados à privacidade serão reformulados. As configurações e opções de privacidade atuais que a rede Ethereum possui não são de todo ruins, mas os novos recursos estarão atualizados e garantirão maior privacidade durante as transações.

Outra grande mudança que a bifurcação Ethereum Metropolis visa implementar é um sistema baseado em consenso de Prova de Participação, em vez da atual “Prova de Trabalho”.

Se isso fosse feito, isso eliminaria a mineração de Ethereum como um todo. Em vez disso, você apostaria algumas de suas moedas Ethereum para a capacidade de verificar automaticamente as transações que acontecem no blockchain Ethereum e, por sua vez, receberia uma certa quantia de receita.

A mineração de Ethereum (GPU, CPU, ASIC, Cloud) é uma atividade extremamente popular entre os fãs dessas criptomoedas, então esse é um grande ponto de discussão. Mesmo que o sistema PoS teoricamente acelerasse e suavizasse os processos que acontecem dentro da rede, tal mudança resultaria em um despejo massivo de equipamentos de mineração no mercado, o que poderia significar mudanças prejudiciais nos preços dos componentes da plataforma de mineração.

Vamos dar uma rápida visão geral de duas das fases da bifurcação Ethereum Metropolis, pontos importantes dentro dos forks da Ethereum.

Byzantium foi uma fase que teve como objetivo tornar a plataforma Ethereum mais segura e otimizada. Isso foi feito uma etapa de cada vez, mas o objetivo inicial era tornar a rede mais segura e mais fluida de usar.

Constantinople visa terminar os processos da Byzantium e então se concentrar em um grande objetivo - preparar o blockchain Ethereum para a transição entre os sistemas PoW e PoS. Este é um grande objetivo por si próprio e levará algum tempo para ser totalmente colocado em movimento.

Compare Exchanges de Criptomoedas Lado a Lado com Outras

Você sabia?

Já se perguntou quais exchanges de criptomoedas são as melhores para seus objetivos de negociação?

Veja lado a lado e compare o TOP de exchanges de criptomoedas
Análise da Carteira Trezor
Prós
  • Segurança de alto nível
  • Carteira de criptomoedas muito bem conhecida
  • Suporta um número enorme de criptomoedas
Análise da Carteira Exodus
Prós
  • Fácil de usar
  • Possui suporte ao cliente
  • Múltiplas opções de criptomoedas
Análise da MyEtherWallet
Prós
  • Interface de carteira "meio termo" de primeira qualidade
  • Sem taxas
  • Software de código aberto

Serenity

Ethereum Serenity é considerado o último grande passo no desenvolvimento e no estabelecimento dos forks da Ethereum. A Serenity é dedicada a um objetivo e apenas a um objetivo - fazer a transição do blockchain Ethereum de PoW para PoS.

Forks da Ethereum: Serenity

Byzantium e Constantinople são as duas principais fases de preparação. Durante esse tempo, certas transações serão feitas por meio do consenso da Prova de Participação para começar a preparar o sistema para a transição.

Ethereum Serenity é um grande marco para a Ethereum porque mudaria praticamente tudo que as pessoas estão acostumadas quando se trata da mineração dessa criptomoeda. De acordo com o roteiro Ethereum, a transição para "PoS puro" deve acontecer em 2022.

Resumo do Fork da Ethereum

Vamos fazer um resumo rápido do que abordamos neste guia do hard fork Ethereum.

Os forks de criptomoedas são eventos dentro do blockchain da criptomoeda que visam alterar certos aspectos específicos da criptomoeda em questão. Existem dois tipos de forks - os soft e os hard.

Os soft forks alteram questões menores e estéticas, enquanto que os hard forks são geralmente uma virada de jogo completa.

Ao longo da vida da Ethereum, houve (e ainda haverá) três grandes hard forks da Ethereum - Ethereum Classic, EtherZero e Metropolis.

O fork Ethereum Metropolis (que é o fork atual) visa, em última instância, preparar a Ethereum para a transição entre uma altcoin baseado em sistema de Prova de Trabalho para um de Prova de Participação.

A Serenity será a etapa final na conclusão da tarefa mencionada acima e está programada para acontecer em 2022.

Conclusão

O mundo das criptomoedas está constantemente encontrando novas e diferentes maneiras de se desenvolver e avançar, seja do ponto de vista tecnológico ou em termos de informação.

Os forks da Ethereum e de criptomoedas no geral costumam ser eventos muito controversos dentro das comunidades. Dependendo de que upgrades ou mudanças os forks façam, mas não importa a intenção, as pessoas vão estar sempre divididas em grupos de dois - aqueles que gostam de eles e aqueles que os odeiam.

Os soft forks são geralmente aceitos mais facilmente do que os hard. Isso ocorre principalmente porque eles não visam alterar fundamentalmente nada dentro do blockchain. A maioria das pessoas pode até gostar de alguns soft forks - especialmente os alternativos cosméticos.

No entanto, os hard forks são sempre um ponto de discussão. As mudanças que eles trazem raramente são vistas com uma reação unilateral.

Os forks da Ethereum são interessantes. Todos os três hard foram pontos de ruptura muito importantes na vida da Ethereum. Ethereum Classic foi o mais controverso, entretanto - esta bifurcação gerou grandes discussões filosóficas dentro das comunidades de criptomoedas em todo o mundo. Pela primeira vez, o tópico da descentralização tornou-se amplamente referenciado e discutido.

Forks da Ethereum: Ethereum POS.

Por mais que a Ethereum Classic tenha sido polêmica, a fork da Metropolis Ethereum é significativa.

Assim que a Ethereum Serenity entrar em ação, ninguém saberá o que acontecerá com a economia. De repente, haverá milhares e milhares de plataformas de mineração, GPUs, ASICs e outros dispositivos relacionados à mineração de criptomoedas que não servirão mais para uso.

As pessoas geralmente não estão prontas para mudanças tão dramáticas, como as que os forks da Ethereum trazem. Naturalmente, uma parte da população de mineração de criptomoedas encontrará certas lacunas e saídas específicas - revender as GPUs, alugar equipamentos ou mesmo começar a minerar outras criptomoedas, esquecendo a Ethereum como um todo.

A última parte provavelmente seria o pior cenário para a Ethereum. Todas as criptomoedas valem tanto quanto as pessoas as usam - se o número de usuários diminuir, também diminuirá a relevância da criptomoeda e, por sua vez, seu preço.

É por isso que, pelo menos quando se trata desse fork da Ethereum, muita preparação e esforço foram colocados de antemão - a Serenity não é esperada até o próximo ano e a equipe de desenvolvimento espera aliviar algumas das reações iniciais que este hard fork acumulou.

Um dos principais objetivos da equipe Ethereum é mostrar o quão benéfico e rápido um sistema de Prova de Participação é quando comparado a um Prova de Trabalho. Ele elimina muitas das falhas do sistema PoW (custos de eletricidade, resfriamento e dispositivo, a necessidade de uma área ampla e aberta, etc.).

Além disso, o valor que alguém recebe depende do valor apostado - quanto mais você traz para a mesa, mais você recebe. Isso incentiva as pessoas a participarem da negociação, compra e venda - tudo para obter mais moedas e obter maiores receitas.

Além disso, se você tiver uma quantidade generosa de Ether, certifique-se de mantê-la em um lugar seguro e escolher carteiras de hardware, como Ledger Nano X e Trezor. Porém, se preferir carteiras quentes, você poderia manter alguns de seus criptoativos em exchanges de alto nível - como a Binance e o Kraken, por exemplo.

Bem, este foi o guia do fork da Ethereum. Espero que você tenha achado interessante e tenha aprendido algo novo sobre a Ethereum e outros forks em geral!

Deixa o seu comentário honesto

Deixe sua opinião genuína e ajude milhares de pessoas a escolher a melhor exchange de criptografia. Todos os comentários, positivos ou negativos, são aceitos, desde que sejam honestos. Não publicamos feedback tendencioso ou spam. Então, se você quiser compartilhar sua experiência, opinião ou dar conselhos - o espaço é seu!


3 Melhores e Mais Populares Códigos de Cupons

Verificado

$600 WELCOME BONUS

Get Binance Black Friday Rewards
Classificação
5.0
Verificado

EARN UP TO 23%

By Staking on Kraken - Black Friday Deal
Classificação
5.0
Verificado

GET 0% FEES

For BTC & ETH - Black Friday Offer
Classificação
5.0

Perguntas Frequentes

Como escolher a melhor exchange de criptomoedas?

Ao escolher a melhor exchange de criptografia , você deve sempre se concentrar em manter um equilíbrio entre os recursos essenciais que todas as principais exchanges de criptografia devem ter e aquelas que são importantes para você, pessoalmente. Por exemplo, todas as melhores exchanges devem possuir recursos de segurança de alto nível, mas se você deseja negociar apenas as principais criptomoedas, provavelmente não se preocupa muito com a variedade de moedas disponível na exchange. É tudo uma situação caso a caso!

Qual exchange de criptomoedas é a melhor para iniciantes?

Ao ler várias das melhores análises de exchanges de criptografia online, você notará que uma das coisas que a maioria dessas exchanges têm em comum é que elas são muito simples de usar. Enquanto algumas são mais diretas e mais acessíveis para iniciantes do que outros, você não deverá encontrar nenhuma dificuldade com nenhuma das exchanges mais bem cotadas. Dito isso, muitos usuários acreditam que a KuCoin é uma das exchanges mais simples do mercado atual.

Qual é a diferença entre uma exchange de criptomoedas e uma corretora?

Em termos leigos, uma exchange de criptomoedas é um lugar onde você encontra e negocia criptomoedas com outra pessoa. A plataforma de exchange (ou seja, a Binance) atua como um intermediário - conecta você (sua oferta ou solicitação) à outra pessoa (o vendedor ou o comprador). Com uma corretora, no entanto, não há “outra pessoa” - você apenas negocia suas criptomoedas ou moeda fiduciária com a plataforma em questão, sem a interferência de terceiros. Ao considerar as classificações de exchange de criptomoedas, no entanto, esses dois tipos de negócios (bolsas e corretoras) são normalmente incluídos no termo - exchange. Isso é feito por uma questão de simplicidade.

Todas as melhores exchanges de criptomoedas baseadas nos Estados Unidos?

Não, definitivamente NÃO! Embora algumas das principais exchanges de criptomoedas sejam, de fato, baseadas nos Estados Unidos (ou seja, KuCoin ou Kraken), existem outros líderes da indústria muito conhecidos que estão localizados em todo o mundo. Por exemplo, a Binance está sediada em Tóquio, no Japão, enquanto a Bittrex está localizada em Liechtenstein. Embora haja muitos motivos pelos quais uma exchange preferiria ser baseada em um local em vez de outro, a maioria delas se resumem a complexidades de negócios e geralmente não têm efeito sobre o usuário da plataforma.

Dias
Horas
Minutos
Segundos